Qual é a melhor maneira de higienizar o celular e evitar a propagação do coronavírus?

Espalhe o amor!

telefone-celular
Aparelho celular

Aparelhos são notórios por acumularem microorganismos. Veja dicas de como limpar os smartphones sem danificar o dispositivo.
Smartphones podem ser agentes de transmissão do coronavírus, principalmente se emprestados para outras pessoas.
Estudos apontam que os smartphones acumulam fungos, bactérias e vírus. E a preocupação sobre como fazer uma limpesa nos celulares, cresceu com a pandemia de coronavírus.
• Coronavírus: perguntas e respostas
Para o médico infectologista Caio Rosenthal, o celular pode sim, ser um meio de transmissão do novo coronavírus, já que usamos os aparelhos com frequência e depois de tocarmos em objetos como corrimãos, maçanetas, assentos nos transportes publicos e outros.
“O aparelho pode ser um meio eficiente de transmissão, principalmente se emprestado a outras pessoas”.
Ao tossir, falar ou espirrar, por exemplo, o vírus se espalha por meio das gotículas, que são um meio de transporte do virus, e permitem que fiquem em superfícies como maçanetas, apoios de transporte público, botões de elevadores, teclas de computador, celulares, entre outros.

Celulares precisam ser higienizados a CADA HORA!!!
A melhor maneira de se prevenir do novo coronavírus é usar água e sabão, ou limpar as mãos com álcool. Nas não é recomendável passar esses produtos diretamente nos celulares, por serem aparelhos eletrônicos.
As telas sensíveis ao toque (touchscreen) dos aparelhos não são simplesmente vidro: elas contam com algumas tecnologias protetoras, como uma película oleofóbica, que permite manter o aparelho livre da óleosidade natural nossas mãos.
Isso inclui também, tablets e computadores com telas sensíveis ao toque. Esses equipamentos passam por processos químicos para garantir resistência e funcionamento do touchscreen.
Por causa disso, o uso de alguns produtos químicos, como cloro, água sanitária ou álcool líquido com alta concentração, poderá danificar a tela do smartphone, e se penetrar em seu interior irá danificar os circuitos eletronicos. Existem lenços específicos, para serem usados na limpeza dos celulares, mas eles não são capazes de destruir vírus e outros microorganismos.
Recentemente, Apple e Samsung divulgaram novas recomendações do que usar e o que não usar na hora de limpar smartphones. Veja as recomendações das empresas.
A maneira certa de higienisar seu smartphone:
Desligue o aparelho, retire a capa e desconecte cabos e acessórios.
Use álcool isopropílico com concentração 70%: ele é conhecido por quem trabalha com manutenção de eletrônicos porque sua composição tem pouca água, o que impede a oxidação das peças. Normalmente, o produto é vendido com uma concentração maior, de 98% — nesse caso é preciso diluir.
A Samsung afirma que álcool etílico, nessa mesma concentração também pode ser usado. Não é recomendável jogar o produto diretamente sobre o aparelho ou submergir-lo (Acredito que ninguém faria isso!). O ideal é colocar o produto em um pano apropriado, como descrito abaixo.
De acordo com infectologistas, ambos os tipos de álcool são eficientes para matar a grande maioria dos vírus, inclusive o coronavírus.
Use somente panos macios, que não soltem fiapos: evite toalhas, lenços abrasivos, papel-toalha e itens parecidos. A Samsung recomenda usar um pano de microfibra, como os utilisados para limpesa de câmeras fotográficas.
Limpe a capinha: as capas de proteção são, sem duvida, otimas por acumular sujeira. Se forem feitas de plástico, silicone, ou algum material semelhante, é possível usar água e sabão e deixar secar. Outros materiais, como couro, devem ser limpos com produtos específicos.
O que NÃO fazer:
Não cborrife o aparelho com líquidos: mesmo o álcool, que evapora rapidamente, pode danificar partes sensíveis do aparelho, como as entradas de energia, de fone de ouvido ou os alto-falantes.
Não limpe o dispositivo enquanto ele estiver conectado à energia elétrica: essa é mais uma recomendação da Apple. Umidade e energia elétrica não se entendem, é bom evitar riscos.

Vivemos uma pandemia, e não há nada mais recomendado que cuidar da sua higiene e a de seus próprios objetos pessoais. Com a rápida propagação do novo coronavírus (causador da COVID-19), a população deve ficanr mais atenta, cuidando principalmente, para não encostar a mão no rosto.
Pessoas contaminadas podem encostar em corrimãos, mesas de restaurante, portas de ônibus e metrôs e, facilmente, deixar um resquício de contaminação sobre estas superfícies. É quando uma pessoa saudável encosta nestes mesmos lugares e leva a mão ao rosto, seja tocando no nariz, na boca ou nos olhos, ela também se contamina. (Pare de cutucar o nariz, antes erás só feio, agora é perigoso também!)
Para matar vírus e evitar que contaminações aconteçam, a recomendação — não só em época de pandemia — é usar e abusar do álcool em gel, específico para higiene das mãos, depois de, claro, lava-las muito bem com água e sabão por cerca de 20 a 30 segundos. É claro que só isso não vai evitar que o vírus entre em nosso organismo, pois todos carregamos um objeto no qual encostamos o tempo todo — e que é antro preferido dos vírus, fungos e bactérias: é ele mesmo, o smartphone!

corona-virus
higienizar xelular

Espalhe o amor!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *